É Notícia

Publicado em outubro 4th, 2017 | Por Adilson Junior

0

Em 1977, uma enfermeira cuida de um bebê queimado. Mas ela nunca imaginou que 38 anos algo iria acontecer

Durante décadas, Amanda Scarpinati se agarrou a fotos em preto e branco de uma enfermeira segurando-a quando tinha 3 meses de idade.

As fotos de 1977 foram tiradas no Albany Medical Center, em Nova York, depois que Amanda caiu de um sofá em um humidificador de vapor quente. Ela sofreu queimaduras graves de terceiro grau e sua cabeça estava envolvida em uma grossa gaze.

Ao longo dos próximos anos, Amanda foi submetida a várias cirurgias e foi provocada por seus colegas de classe. A enfermeira na fotografia forneceu muito mais do que apenas ajuda médica.

” Eu cresci como uma menina desfigurada por queimaduras, foi intimidada e atormentada, ” disse Amanda Scarpinati Associated Press. ” Eu olhei para aquelas fotos e eu queria falar com ela, mesmo que eu não soubesse quem ela era. Ao olhar, ela me dava paz e tranquilidade era tão sincero cuidando de mim “.

Amanda esperava encontrar um dia a enfermeira que lhe deu conforto naqueles momentos severos. Após 20 anos de pesquisa desafortunada, Amanda pensou em usar as mídias sociais. Ela compartilhou essas preciosas fotos na página do Facebook e escreveu; ” Eu adoraria saber o nome dela e possivelmente ter a oportunidade de falar com ela e encontrá-la. Por favor, compartilhe isso porque você nunca sabe quem você poderia alcançar “.

Sua mensagem tornou-se viral e o que aconteceu a seguir é verdadeiramente emocionante.

Angela Leary, que trabalhou com a enfermeira no hospital nesse mesmo ano, identificou-a como Susan Berger.

Berger tinha 21 anos naquela época e acabava de sair da faculdade. Agora, vice-presidente executivo do Colégio Cazenovia de Nova York lembrou-se de Amanda e viu as mesmas fotos que também guardava. Berger falou sobre aquele bebê por anos, por onde pfreqüentou, com sua família e amigos.

“Foi muito calma “, disse ela. ” Normalmente, quando os bebês saem da cirurgia estão dormindo ou chorando. Mas ela estava tão calma e confiante. Foi incrível. “

Pouco depois, as duas tiveram uma reunião emocional após 38 anos.

” Eu não sei quantos enfermeiros podem ter a sorte de viver algo assim, que alguém se lembrará de você por todo esse tempo “, disse Berger. ” Sinto-me privilegiada de ser alguém que representa todas as enfermeiras que cuidaram dela nos últimos anos. “

Veja o momento emocionante no qual elas se encontram no seguinte vídeo:

Enquanto o trabalho de uma enfermeira às vezes é negligenciado, a busca de Amanda para encontrar Susan Berger demonstra o quão importante eles realmente são. Ela também enfatiza o efeito positivo que uma pessoa pode ter no outro.

FONTE: https://zipnoticias.com/em-1977-uma-enfermeira-cuida-de-um-bebe-queimado-mas-ela-nunca-imaginou-que-38-anos-algo-iria-acontecer/


Sobre o autor



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir para o topo ↑